Testes de Nível de Tabagismo

O consumo de tabaco é, nos dias de hoje, a principal causa de doença e de mortes evitáveis.

 
 

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, anualmente cerca de 4,9 milhões de pessoas morrem, em todo o mundo, em resultado do tabagismo. Se a epidemia não for travada, a mesma organização estima que, em 2020/30, esse número chegará aos 10 milhões de pessoas por ano.

Uma vez iniciado o consumo do tabaco, rapidamente se transforma em dependência (física e psíquica), provocada por uma droga psicoactiva - a nicotina – presente na folha do tabaco.

O fumo produzido pelo consumo do tabaco contém mais de quatro mil compostos químicos com efeitos tóxicos e irritantes, dos quais mais de 40 são reconhecidos como cancerígenos.

O tabagismo não é factor de risco apenas para o próprio fumador, mas também para aqueles que, não sendo fumadores, se encontram frequentemente expostos ao fumo passivo. Dados recolhidos em 1992, pela Comissão Europeia, revelaram que 29 por cento dos fumadores portugueses nunca se abstêm de fumar em presença de não-fumadores.

Estudos epidemiológicos confirmam a associação entre o tabagismo e...

  • Um terço de todos os casos de cancro;
  • 90 por cento dos casos de cancro do pulmão;
  • Cancro do aparelho respiratório superior (lábio, língua, boca, faringe e laringe);
  • Cancro da bexiga, rim, colo do útero, esófago, estômago e pâncreas;
  • Doenças do aparelho circulatório, dos quais a doença isquémica cardíaca (25 por cento);
  • Bronquite crónica (75-80 por cento), enfisema e agravamento da asma;
  • Irritação ocular e das vias áreas superiores.

Fumar reduz a esperança média de vida em cerca de dez anos.

 

 

Por tudo isto, na Pharmanária dispomos de um aparelho (Cooximetro) que mede os níveis de Monóxido de Carbono do ar expirado, permitindo assim avaliar os níveis de tabagismo de forma indirecta.

 

O Monóxido de Carbono tem uma capacidade 240 vezes superior à do oxigénio para se ligar à hemoglobina (proteína que transporta o oxigénio na corrente sanguínea e o leva aos vários órgãos). Assim, na presença de Monóxido de Carbono, o Oxigénio "desliga-se" da hemoglobina, levando à hipoxemia, com falta de oxigénio ao nível das células. Logo, quanto maior a quantidade de Monóxido de Carbono no ar expirado, maior é a perda de capacidade de oxigenação dos tecidos por parte do doente e maior o seu nível de tabagismo.

 

Venha já às nossas instalações realizar a sua Cooximetria (Teste de Nível de Tabagismo) para avaliar o seu grau de perda de oxigenação dos tecidos e o seu nível de vício/consumo de tabaco.

Procuraremos, caso esteja interessado, em ajudá-lo a deixar de fumar.